Fubar generation

Mariana Barros Silvestre entrevista o dr. Pichón R. | T2 E6 Onde o dr. Pichón R. fala de um livro que anda a ler, Mundo Belo, Onde Estás, da Relógio D’Água, 2021 — Boa tarde a todos os ouvintes da Rádio Osso, a emissora da revista sem linha editorial. Estamos com o nosso convidado habitual, […]

Um dia assim

“Para quê, perguntou ele, para que servem | Os poetas em tempo de indigência?”  Hélia Correia, in A Terceira Miséria, Relógio D’Água Editores, Fevereiro 2012

Porque não pagam aos poetas?

Bernardim teve um problema grave com a mãesempre ausente sabe-se lá por ondeenquanto ele fazia de Peter Pan em casaonde se travestia de menina e moça.Sá de Miranda bem lhe falou ao coraçãomas Bernardim não parou de sangrar até ao fim dos diasSá de Miranda viajado, vaidoso, eventualmente pedopsiquiatra,o Dr. Sá de Miranda cortesão pedante […]

Peritos

Mariana Barros Silvestre entrevista o dr. Pichón R. | T2 E5 Onde ambos se revelam peritos de peritos — Boa noite, dr. Pichón. — Boa noite. Regressamos às velhas formas de tratamento, Mariana. Registo. — Nada disso, dr. Pichón. O nosso diretor encomendou um inquérito de satisfação aos ouvintes de Rádio Osso. E parece que eles […]

O lado invisível do corte

É comum chamarmos de erro ao desconhecido, de deserto a uma invisibilidade, de silêncio a uma hipersonoridade. Tão comum, essa prática livre de insónia, que não se inibe de condenar cidades inteiras ao castigo moral de se dizer, assim tão descaradamente, vazia. Perguntem à Maria pela fila que se acumula na porta entreaberta. Lá dentro […]

Taxistas versos Eu Nº 60

Não sabes como matéria exacta o momento a partirdo qual começaste a dominar a arte de entrar num táximas sabes que se te perguntassem em que ofício és mestreidentificarias esse mesmo. E, antes, entrar num táxi tinha qualquer coisade atravessar o Nilo não às costasmas dentro da boca de um crocodilocom o coração apertadocontra a […]

O rio que corre sem aldeia

Penso muitas vezes em rios, mas passo dias sem ver nenhum – nem o Douro, que corre (ou, aproximando-se quase desfalecido da foz, se deixa ficar parado) a 500 metros de minha casa. Não conta eu poder ver a ponte da Arrábida da janela do gabinete: a ponte não existiria sem rio, mas uma ponte […]

Morticia

Para o Doutor Enigma Life is not all lovely thorns and singing vultures, you know.Morticia Addams Os espinhos são abençoados.Focam o mal-estar numa dor localizada.O problema são as outras dores.As que são ondas em vez de partículas.As que me arrastam pela areia até ao mar.Nenhum grão, nem todos em conjunto, me seguram.Sustenho a respiração e […]

Drusa de ametista

(…) O comércio local foi muito importante para mim, foi lá que encontrei algum espaço para falar sem a sujeição aos preconceitos das pessoas, outrora íntimas, que representavam um passado desligado do meu presente. No comércio local, as pessoas tendem a ser simpáticas connosco e a concordar com tudo o que dizemos porque nos querem […]